top of page

As dores do mundo, Victor Hugo Nicéas


La dolorosa - Jose Camaron Boronat

Certa vez alguém me disse,

Com brancos dentes à mostra,

Quem muito sorri é porque está triste

E lá no fundo também chora.


Abri os olhos para ouvir com atenção

E sem palavras proferir

Cocei as pontas dos dedos dos pés

E também das mãos

Encarei sonhos meus

Como água que encalha na areia

Com beijos perfurantes até sumir,

Tornei a mente oceano sem raios

Olhei nos poços de quem me via;

E sorri*.





*O poema foi escrito propositadamente com o mesmo título de um texto outrora publicado, pois o que são as dores do mundo se não as nossas primeiro? Confira o texto clicando aqui!




Deseja ler um bom livro? Conheça nossas listas de leitura!

Filosofia l Literatura l Refletir o Direito

bottom of page