top of page

O doce toque do despertar, Victor Hugo Nicéas





















Arte: Julianne Ribeiro / Instagram @juliannewith.an.e

Texto: Victor Hugo Nicéas



Tudo é céu,

Tudo é mar.


Vermelho que eleva,

Azul que aquece.


A tinta transborda,

Sem o céu encontrar,


São como oceanos de felicidade

A escorrer no papel

Tocam o rosto em lágrimas,

Transbordando-as além da margem,

Sem satisfazer.


A moça, ali despida,

Mergulha-se na consolação do desconsolo


Molha-se no oceano,

Afugenta a tristeza do coração

Veste o sol em seus cabelos.

Urde-o à vermelhidão.


Faz-se plena como só ela,

Faz-se doce poesia ao mergulhar,

Unindo-se a lonjura do céu,

Juntando-o ao azul do mar.

bottom of page